Tuesday, December 23, 2008

Eu tenho um Android


Como já foi mais do que divulgado na imprensa, este ano, como presente de Natal, o Google deu telefones Android para todos os funcionários.

Eu recebi o meu, e hoje acabei de migrar meus contatos para ele. Estou adorando. Apesar dos problemas com duração de bateria (que deve durar uns 2 dias e meio, no máximo), a interface de uso é MUITO boa.

Minha lista de pedidos para o Papai Noel

Eu tinha um montão de presentes para pedir, mas como sou uma criatura ansiosa, acabei comprando tudo e deixando o velhinho sem trabalho. Então minha lista de pedidos para o Papai Noel vai ser:

  • Paciência, menos ansiedade
  • Organização, principalmente do meu tempo
  • Tempo, e aprender a respeitá-lo
  • Carinho das pessoas que eu gosto
  • Sucesso profissional, se continuar como está, já está bom
Essas também são as coisas que eu desejo aos meus amigos, e que todos eles tenham um 2009 maravilhoso! Em breve, relatos das férias malucas começarão...

Monday, December 22, 2008

Adorable mess

I have been listening to music, as usual, and thinking a lot about what to do with my life, as usual. I feel like every single decision I make can, and will, shape my future in a different way, and I feel I shouldn't chose to much, or do much right now.

I know that I want to be where I should have been already. But I am not there, and that's because I made my choices, and I was wrong. How to change now?

There is a song, from a singer called Ana Carolina. She is awesome, btw. The song is called Ruas de Outono, and I was just listening to it. And thinking...

Why the hell life is so full of decisions? Why aren't the solutions for my problems knocking at my door?

Should I adopt a cat, get married, buy a bicycle, or have a kid? Maybe writing a book?

I am a mess...I just hope I am still the adorable mess, am I?

Another song, today I am feeling musical!

Found myself today singing out loud your name,
you said I'm crazy,
if I am I'm crazy for you.

Sometimes sitting in the dark wishing you were here
turns me crazy,
but it's you who makes me lose my head.

And every time I'm meant to be acting sensible
you drift into my head
and turn me into a crumbling fool.

Tell me to run and I'll race,
if you want me to stop I'll freeze,
and if you are me gonna leave, just hold me closer baby,
and make me crazy for you.
Crazy for you.

Lately with this state I'm in I can't help myself but spin.
I wish you'd come over,
send me spinning closer to you.

I keep on trying, fighting these feelings away,
but the more I do,
the crazier I turn into.

My oh my, how my blood boils, it's sweet taste for you,
strips me down bare
and gets me into my favourite mood.

Pacing floors and opening doors,
hoping you'll walk through
and save me boy,
because I'm too crazy for you.
Crazy for you

Sunday, December 14, 2008

Janta

Eu quis te conhecer mas tenho que aceitar
Caberá ao nosso amor o eterno ou o não dá
Pode ser cruel a eternidade
Eu ando em frente por sentir vontade

Eu quis te convencer mas chega de insistir
Caberá ao nosso amor o que há de vir
Pode ser a eternidade má
Caminho em frente pra sentir saudade

Paper clips and crayons in my bed
Everybody thinks that i'm sad
I'll take a ride in melodies and bees and birds
Will hear my words
Will be both us and you and them together

Cause i can forget about myself, trying to be everybody else
I feel allright that we can go away
And please my day
I let you stay with me if you surrender

Eu quis te conhecer mas tenho que aceitar
(I can forget about myself trying to be everybody else)
Caberá ao nosso amor o eterno ou o não dá
(I feel all right that we can go away)
Pode ser a eternidade má
(And please my Day)
Eu ando sempre pra sentir vontade.
(I'll let you stay with me if you surrender)

Wednesday, December 10, 2008

Você nunca vai me ver em um Peugeot

Lá por agosto deste ano, eu estava procurando por um carro para comprar. Depois de muita pesquisa, e muita indecisão, acabei com 3 modelos em mente: Peugeot 1007, Honda Jazz, Renault Modus.

Os donos de Renault que me perdoem, mas são feios os bichinhos. O Modus é bem feio. O Clio eu acho bonitinho. Mas enfim, eu queria um pouco mais que o Clio. Queria um carro que eu pudesse fazer compras com ele, ou seja, que tivesse porta-malas. O Peugeot e o Renault ganhavam na categoria opcionais. Ambos tinham cruise control, que é o tal botãozinho mágico que você aperta para fixar a velocidade do carro, e então descançar os pezinhos.

Enfim, fiz test drive no Peugeot, fiz test drive no Renault. Comprei o Honda. Nada de novidade até aqui, já que isso foi post velho. Mas enfim, senta que aí vem a história :)

Quando eu fiz o test drive do Peugeot, fiz em uma concessionária há quase 100Km da minha casa (em Luzern), e o rapaz, super atencioso apesar do inglês precário, me disse que caso eu quisesse o carro ele me levaria o dito em casa, e me entregou uma "ordem de compra" (aqui, vertrag), que eu deveria assinar e enviar para eles por fax se decidisse comprar o carro.

No meio da semana seguinte, fui ver o Honda, me apaixonei, casei (com o Honda, claro), e mandei um e-mail para o cara da Peugeot, agradecendo por tudo, e dizendo que não queria o carro. Recebi uma resposta automática dizendo que ele tava em férias e que retornaria na semana seguinte.

Nanda feliz da vida de carro novo, a vida continua....

2000Kms depois...

Estou em casa, dormindo ao meio dia de um sábado, quando recebo um SMS. Vou copiar aqui, porque foi engraçado...

"Hello ms weiden. My boss was not believe because the car. He send u a letter. Dont answer this. I clear that for u. Greets"

A primeira coisa que me veio a cabeça foi "quem é essa criatura?". Mandei um SMS denovo, perguntando a identidade da criatura. Dois dias depois, recebo a resposta:

"Its me mister biller from luzern. Please dont be angry i clear that today. Letter will come with signature. Dont get the letter and he will come back. Thanx"

Bom, a tal carta que ía chegar com assinatura, chegou, dizendo que após várias tentativas de contato por telefone (pequeno detalhe...desde maio estou de plantão 24x7 no Google, o que me obriga a ter meu telefone sempre comigo, sempre ligado), a concessionária da Peugeot estava muito triste com o meu comportamento de não ter cumprido os termos do "vertrag" e que eu estaria sujeita ao pagamento de uma multa de 15% do valor do carro, de acordo com a cláusula X do tal vertrag.

A primeira coisa que me veio na cabeça foi: que diabos? Eu nunca assinei o tal vertrag!!!

Bom, depois de uns dias da chegada da carta, eu recebo uma ligação lá pelas 6 da tarde, do tal Mr. Biller, dizendo que, mesmo eu não tendo assinado a carta, o chefe dele achava que eu tinha que pagar a multa do mesmo jeito, como se eu tivesse comprado o carro e não cumprido a forma de pagamento. HA HA HA

Ele perguntou se podia marcar um horário no dia seguinte, para que eu, ele e o chefe conversássemos sobre como pagar a tal conta. Eu, que sou muuuuuito paciente, já estava muito irritada e respondi coisas do tipo "se vocês quiserem falar alguma coisa pra mim, me mandem por escrito via correio, e vocês falarão com o meu advogado, eu não assinei porra nenhuma, e não vou pagar nada pra vocês". Talvez eu não tenha sido tão polida como nas aspas aí.

Bom, na semana seguinte, viajei para os Estados Unidos, por 3 semanas. Quando chego em casa para longos 3 dias (eu tinha que ir pro Brasil para o Latinoware logo em seguida), abro minha caixinha de correio e....surpresa! Um boleto bancário de quase 3 mil francos (~6 mil reais) referente a quebra do contrato blablablabla...eu juro que gritei, chorei, bati a cabeça na parede. Fiquei muito irritada.

Testemunhas que não falam português juram que ouviram coisas do tipo "c*alho de país" e "língua de m*", pelo menos 10 vezes de cada. Eu me referia a Suíça, e ao alemão. Aliás, exceto pelos SMSs que eu copiei neste post, toda comunicação escrita foi feita em alemão.

Enfim, resumo da ópera...liguei para um advogado ainda no final de semana antes de ir pro Brasil, e expliquei pra ele a situação, mandei os documentos escaneados, e adivinha? Depois do advogado entrar em contato com eles via carta, eles ligaram dizendo que eles tinham desistido de me cobrar a multa de 15% do valor do carro. E mandaram uma carta também, confirmando "quitação da dívida". Acredita nisso?

Sim, é inacreditável. Eu pensei que aqui não tinha vigarista, mas tem!!! Os caras estavam se aproveitando da minha dificuldade de comunicação para me extorquir dinheiro!!!

Enfim, agora estou 350 Francos mais pobre, mas não tenho mais sem-vergonhas na minha cola querendo me cobrar por um test drive. E aliás, antes que eu esqueça: eu amo meu Honda, e nunca mais entro numa concessionária Peugeot!

Aliás, ainda estou considerando, seriamente, em recrutar um amigo fluente em francês para me ajudar a mandar umas cartinhas para a sede da Peugeot na França e contar o que esses sem-vergonhas fazem com as pessoas aqui na Suíça.

Decoração de natal, gatos e mais um pouco

No último final de semana adquiri minha primeira árvore de Natal. Além disso, também comprei uma girlanda sem enfeite, e deixei o meu espírito natalino brincar. A árvorezinha ficou até bem lindinha. A girlanda também. Agora é só esperar o Papai Noel chegar :) (fotinhos aqui)

Falando em Papai Noel, estou pensando em pedir pra ele me trazer dois gatinhos. Ouvi falar que gatinhos ficam mais alegres se você os cria com companhia, e já que eu trabalho muito, acho que dois seriam bons parceiros. Estou vendo como isso tudo funciona na Suíça para tomar minha decisão final. O ideal seria final de janeiro, já que eu estarei viajando em janeiro, e quero poder ficar com meus bebês. Alguém sabe qual a idade ideal pra adotar? Ouvi falar entre 3 e 6 meses...

Tá nevando pra c•alho aqui. Tenho que providenciar meus pneus de inverno (sim, isso existe). Na Suíça o uso não é obrigatório por lei, mas provavelmente a seguradora do carro não vai querer pagar seu acidente se ficar provado que você deslizou por estar usando o pneu errado. Melhor prevenir...

Thursday, December 4, 2008

O caso do plano de saúde - organização suíça

* contexto *
Como a maioria dos leitores do meu blog sabem, quando me mudei para a Suíça eu ainda estava namorando o Georg Greve, hoje meu super amigo. Como vivíamos juntos, o nosso plano de saúde era conjunto, debaixo do mesmo contrato.

Assim que passamos a viver sob tetos diferentes, providenciamos a separação também dos contratos, e cada um seguiu com o seu. Bom, o tempo passou e o Georg se casou.
* fim do contexto *

Na última segunda-feira, eu chego em casa e tinha uma carta do plano de saúde para mim, com umas informações para pedido de reembolso e tal, e uns adesivos com um nome que não era meu. Eu achei estranho, e achei o nome familiar: Dragoslava Pefeva. Liguei para o Georg e contei para ele que, por algum motivo, tinham enviado informações sobre o plano de saúde da Ava, esposa dele, para minha casa.

Achamos estranho, mas tudo bem.

Ontem eu checo minha conta bancária, e vejo que estavam faltando uns 2 mil francos! Eu quase tive um ataque do coração. Olhei os detalhes da transação e o que era? Plano de saúde, referente ao meses de julho a dezembro.

Conectando um pontinho com o outro, pensei "eu não acredito que adicionaram a esposa do Georg no MEU plano de saúde !!!". Liguei pra lá e...BINGO! Adicionaram a esposa do Georg como minha dependente, no meu plano de saúde, ao invés de adicionar no dele. É mole?

Bom, falei com o Georg, que ligou imediatamente para o plano pedindo que corrigissem o problema, e eles disseram que tudo bem, corrigiriam, porém ele deveria mandar a solicitação por escrito também. Tem como isso não soar engraçado?

"Prezado plano de saúde,
Gostaria de solicitar que a mensalidade do plano de saúde da minha esposa, bem como o contrato, sejam transferidos da conta da minha ex-namorada para a minha.

Muito obrigado"

Coisas da Suíça...

Tuesday, December 2, 2008

Sobre todas as coisas...

Ok, tudo certo e nada resolvido. Como isso é possível mesmo?

Ando irritada por esses dias. Não sei pra qual lado correr, ou o que fazer da minha vida. Na verdade tenho a impressão que perdi as rédeas da minha vida. Mas na verdade, se olhar de perto, está tudo sob controle. Quem sabe?

Estou viciada em last.fm. Meu amigo Franciosi tinha me falado sobre, e eu criei um profile e nunca mais entrei. Daí o Matt me falou sobre isso denovo, e lá fui eu fazer uso do meu profile, adiciona tudo e mais um pouco, e agora não paro mais de ouvir e buscar por coisas malucas pra ouvir. Vê se pode?

Tenho estado preocupada com alguns amigos. Muito preocupada. Seria ótimo se pudéssemos simplesmente colocar as pessoas que gostamos em um vidro, e assim elas não poderiam se machucar, nem sofrer. Mas a vida é assim pra todo mundo. O que fazer?

Fui promovida, to apaixonada, to cansada, tenho estado estressada, tenho trabalhado mais do que gostaria, me divertido menos do que deveria, pensado demais, feito de menos.

Friday, October 31, 2008

Palestra Latinoware

Hoje pela manha dei minha palestra no Latinoware. A sala estava quase lotada. O pessoal parecia interessado. Espero que tenham gostado. Conforme prometido, aqui estao meus slides para download. Divirtam-se! :)

Wednesday, October 22, 2008

meu deus... (vanessa da mata)

Um homem bonito assim
O que quer de mim
O que ele fará comigo?
Um homem bonito que planos
O que Deus me deu
E que ele fará com os seus
Braços de amansar desejos
Boca de beijo
Corpo de tocar
Meu coração muito tonto
Quer sair de mim

Olhos flechando meus zelos
Bem que o meu corpo já me mostrava
Tentação das mais safadas
Sem dor sem penar

Thursday, October 16, 2008

1000 dias, e mais...

Essa semana completei 1000 dias de Google. Quase 3 anos. Parece bastante neh? Mas voou muito rapido. Algumas coisas nao mudaram: ainda acho que tenho muito o que aprender, e ainda tento fazer as coisas como penso serem corretas. Ainda falho, ainda choro, ainda me divirto, ainda sou uma workaholic.

Preciso aprender a administrar meu tempo melhor, conhecer mais gente, fazer mais festa. Vamos ver, vou colocar isso no meu planejamento para o proximo ano :)

Wednesday, October 15, 2008

Wednesday, October 8, 2008

Eu não

Ficar parada, sem dar um passo, eu é que não vou
Ficar cansada dos seus abraços, eu é que não vou

Eu não, eu não vou
Eu é que não vou

Tenho tempo e tenho paciência, e mais que tudo
Te quero dentro da minha existência, de qualquer modo
Mesmo que falte, talvez bastante, eu é que não vou
Não vou me cansar antes, eu é que não vou

Eu não, eu não vou
Eu é que não vou

Tem gente que não deveria apaixonar-se
Alguns não deveriam dizer o sim
Mas não vejo outra saída, não quero passar a vida
Sem que essa vida passe através de mim

E quem se perde completamente, eu é que não sou
Quem esconde tudo que sente, eu é que não sou
Não vou mais pisar o freio, eu é que não vou
Andar com gente que é mais ou menos, eu é que não vou

Tem gente que não deveria ocupar-se
Com coisas que não conseguem nem planejar
Eu não vejo outra saída, não quero passar a vida
Pisando uma pedra e voltando-a pisar

Se você quer um amor perfeito, eu é que não sou
Se você quer alguém sem defeito, eu é que não sou

Eu não, eu não sou
Eu é que não sou

Eu não, eu não vou
Eu é que não vou

Monday, October 6, 2008

Balangandans

É justo, para se lamentar,
A gente abrir mão de segundos preciosos
Que talvez nos trouxessem direto um pro outro?

É justo que um pote de ouro
Venha ao seu encontro (e ao meu)
E desencadeie pânico, paralisação, desastres, desculpas?

É justo eu te dar um beijo na boca à margem da testa,
Da fala e da escrita de uma represa, uma festa?

É justo permitir que uma palavra desgovernada
Deixe minha boca
E aumente minha resistência
A você?


Se uma pessoa só é uma máquina só
Se ela
(provavelmente)
Canta, dança, pensa, treme
Aflita
Não será que tem respostas nas pontas dos dedos,
Dados, balangandans no pensamento
Que costumem nos acompanhar?

Sunday, October 5, 2008

Tudo bem, mas não agora...

"Garota eu vou pra Califórnia..."

Enfim, nem sempre a vida é tão poética como cantam os artistas. Mas eu tô sim, embarco para São Francisco amanhã. Fico pela terra do tio Sam por quase 20 dias, e retorno para a Suíça no dia 24 de outubro. Vai ser o último dia do meu estagiário no Google, e no dia 25 tem a housewarming party da Michelle e Stefan.

Com esse quase mês fora, serão quase 5 meses na estrada em 2008. Muita coisa né? Às vezes dá vontade de ter nascido árvore. Eu adoro viajar, adoro São Francisco e Nova Iorque (minha segunda parada nesta viagem), e certamente vou tentar fazer um bom uso da época que estamos: o dólar está praticamente virando peso.

É sempre bom rever amigos, colocar os papos em dia, ter tempo para pensar na vida. De qualquer forma. Eu não queria sair da Suíça. Não agora. Mas querer não é poder.

nanda ouve Adriana Deffenti, É assim que brinco.

visto todos os tecidos
sem saber ao certo o que cobrir
se a festa for tão longe e além da saia
também ao coração queira eu despir

vou beber perfume e vinho
e dançando vou te embriagar
te envenenando com carinho
deixo meu suor aos poucos te drogar

pôe outra lua no céu a girar
destrói o mundo e faz outro por mim
senão eu não brinco
olha que eu me canso
olha que eu não fico
senão eu não danço

minha medida é a água do mar
aumento a sede de quem me sorver
é assim que brinco
senão eu me canso
senão eu não fico
ou então não danço

Tuesday, September 30, 2008

The show must go on

Hoje eu fui num dos shows mais fantásticos da minha vida: Queen + Paul Rodgers. Lembra quando você ouvia "Love of my life" ao vivo e tinha aquele coro cantando a música? Hoje eu fui parte do coro. Não é lindo? E sabe quando o povo bate palmas cantando "We'll rock you"? Também fiz isso. E pulei, e dançei, e cantei! E a foto aí do lado, foi tirada por mim! Adoreeeeeeeeeeeeeeeeeei :) Só faltou o Fredy ;)

Nossa, eu pulei, gritei, chorei. Tirei algumas fotos, que podem ser vistas aqui.

Eu chorei mesmo, ouvindo "The show must go on", então aqui vai ela...




Empty spaces - what are we living for
Abandoned places
I guess we know the score
On and on, does anybody know what we are looking for...
Another hero, another mindless crime
Behind the curtain, in the pantomime
Hold the line, does anybody want to take it anymore
The show must go on
The show must go on, yeah
Inside my heart is breaking
My make - up may be flaking
But my smile still stays on

Whatever happens, I'll leave it all to chance
Another heartache, another failed romance
On and on, does anybody know what we are living for ?
I guess I'm learning (I'm learning learning, learning)
I must be warmer now
I'll soon be turning (turning, turning turning)
Round the corner now
Outside the dawn is breaking
But inside in the dark I'm aching to be free
The show must go on
The show must go on, yeah, yeah
Ooh, inside my heart is breaking
My make - up may be flaking
But my smile still stays on

Yeah yeah, whoa wo oh oh

My soul is painted like the wings of butterflies
Fairytales of yesterday will grow but never die
I can fly - my friends
The show must go on (go on, go on, go on) yeah yeah
The show must go on (go on, go on, go on)
I'll face it with a grin
I'm never giving in
On - with the show

Ooh, I'll top the bill, I'll overkill
I have to find the will to carry on
On with the show
On with the show
The show - the show must go on

Saturday, September 20, 2008

Flores


Ontem, cheguei no Google pouco antes do meio-dia, e recebi uma ligação da recepção dizendo que eu tinha recebido um pequeno presente. Que era pra eu descer para buscar.

Chego eu na recepção, e vejo FLORES! A primeira coisa que eu pensei foi: "isso só pode ser um engano". Enfim, volto para minha mesa, abro o cartãozinho...Era pra mim mesmo! Flores enviadas, com a ajuda das tecnologias, por um amigo no Brasil. Que lindo não?

Enfim, adorei a surpresa, e o meu dia terminou muito melhor do que começou, tenho que dizer. Muitíssimo obrigada, amigo. Adorei a surpresa!

Friday, September 19, 2008

Lavoura

Quatro da manhã
Dor no apogeu
A lua já se escondeu
Vestindo o céu de puro breu
E eu mal vejo a minha mão
A rabiscar
Esboço de canção.

Poesia vã
Pobre verso meu
Que brota quando feneceu
A mesma flor que concebeu
Perdido na alucinação
Do amor
Acreditando na ilusão.

Canto pra esquecer a dor da vida
Sei que o destino do amor
É sempre a despedida
A tristeza é um grão
Saudade é o chão onde eu planto
No ventre da solidão
É que nasce o meu canto.

No ventre da solidão é que nasce o meu canto...

Friday, September 12, 2008

Outgeek me!

Por esses dias, estou fazendo um curso de Unix Internals, com o Kirk McKusick. O curso é super interessante, mas muito muito muito nerd. Enfim, estou me sentindo um pouco normal. Talvez depois desse curso eu não seja mais tãaaaao normal assim.

Enfim, o cara sabe tudo! Tá sendo ótimo :)

Monday, September 8, 2008

O vizinho louco, parte 2

Há um tempo atrás, escrevi sobre o vizinho maluco que eu tinha, que foi a razão primária para que eu me mudasse de Zurich para Richterswil, onde estou agora.

Bom, acontece que, se viver no apartamento não deu certo, pelo menos eu fiz amizade com o David, que é o britânico que me alugou o apartamento. Ontem, estava eu na frente do meu computador, recebo um SMS do David, me convidando para tomar um café. Infelizmente, eu estava escrava oncall, e não pude ir. Aí ele falou que ía me contatar na próxima vez que viesse a Zurich e tal, e me falou que recebeu uma carta do vizinho maluco.

Eu respondi para ele perguntando (eu juro que eu tava brincando!) se o vizinho estava ainda reclamando no barulho. E ele disse que sim! Era exatamente isso!

Pequeno detalhe? Não mora ninguém no apartamento agora....DUH!

O cara era mesmo um lunático...hehehehehe

Sunday, September 7, 2008

Sessão pipoca

Sabe que a Globo oferece, para os residentes no exterior, a opção de assinar a TV Globo Internacional, que é na verdade um TeleNovelas 24 horas. Enfim, pra mim não serve.

Porém, quando eu me mudei para a Suíça, pensei que a tal da TV Globo ía me manter mais próxima das coisas que acontecem no Brasil. Mas na verdade isso não aconteceu, porque eu não assisto televisão, mas enfim...

Paguei a bendita por quase 2 anos, e resolvi me livrar dela. Desde que me mudei para Richterswil, não tinha instalado todos as parafernalhas necessárias para a TV funcionar (precisa instalar uma antena, no tipo Sky ou DirectTV no Brasil). Resolvi procurar alternativas.

Então descobri, por intermédio de uma amiga, uma opção de TV de Portugal, que tinha vários canais de filmes e tal, podia tirar a legenda em português (porque ninguém merece filme com legenda) e era HD. Perfeito né? Quase! Quando o técnico veio aqui em casa fazer instalação, ele me disse que não tem visada para o satélite, a não ser que eu colocasse a antena...no MEIO do pátio!!!

No movies for me!

Saturday, September 6, 2008

Sol e chuva...lerê lerê

Ha! Eu tô de plantão hoje, trancada dentro de casa. Enfim, quando eu acordei, com os primeiros pages do dia, tinha um sol lindo lá fora. Agora, falta menos de 1 hora e meia para o meu plantão acabar, e adivinha?! Sim! O sol se foi, e tá com cara de chuva. Vida de escrava...

Friday, September 5, 2008

Ohrwurm

O idioma alemão tem uma palavra interessante para expressar aquela música que não sai da sua cabeça: ohrwurm. Em português seria como "minhoca de orelha". Enfim, então vou compartilhar a minha minhoca de orelha...

Para quem não ouvir falar da Alexia Bomtempo, ouça ela cantar. Pelo menos para mim, os arranjos são muito bacanas, e a voz suave dela transmite uma paz muito bacana. Tô adorando.

Alexia Bomtempo, esse nome ainda vai ser mais conhecido ;)

Thursday, September 4, 2008

Menina do jornal (Adriana Deffenti)

Eu não sei porque me fiz assim tão séria pra ninguém ver
Nem porque tão poucos podem saber
Que minha alma anda solta nua pelas ruas à procura de alguém
Assim como a tua também deve fazer

Eu não sei porque me fiz assim tão cega sem ninguém ver
Nem porque esses tantos pensam saber
De tudo o que move o que comove ou que escrevo em minhas cartas
se eu não sei escrever!
Se essa menina que me engasga não tem nada a dizer

A menina do jornal não sabe
Daquela que eu sou
Que chora, dá risada e mata
O sonho que criou
A menina do jornal nem quer saber
Da bela que eu sou
Que acolhe, pôe no colo a fera
E afoga o domador
A menina do jornal não sabe

Da louca que eu sou
O fogo da TV não é nada
Além do meu calor
A voz que sai da caixa só vem
Da mãe que me ensinou
Que só no coração se guarda
O amor além do amor

Wednesday, September 3, 2008

Madonna e balanceamento de carga

Até agora não consigo parar de dar risada. É sério. Estava eu lendo a Folha Online, e eis que me deparo com a mensagem sobre a venda dos ingressos do show da Madonna em São Paulo, que, para o dia 20 de dezembro, não exigem cartões de crédito exclusivo do Bradesco. Para quem não sabe, as vendas começam hoje, dia 3 de setembro.

Eu havia lido anteriormente na Folha Online que muitas pessoas estavam tendo problema com congestionamento nos servidores, mas lá fui eu. Como tenho planos de passar o natal no Brasil, pensei que poderia fazer uma paradinha em São Paulo para assistir o show, já que o daqui a Suíça eu não consegui. Quando entro no site principal, eis que me deparo com a seguinte imagem:



Isso é que é balanceamento de carga hein?! Será que alguém da ticket4fun já ouviu falar, mesmo que vagamente, em IPVS ou LVS?

Ainda bem que a tecnologia está aqui para servir os usuários :)

Como eu queria saber quem são os sysadmins da tickets4fun....just4fun!

***************************
Atualizações:
Recebi alguns emails pedindo para explicar melhor o problema ou "funcionalidade" descrita no meu post. Então aqui vai...

Digamos que você tenha um servidor na internet, e este tem capacidade para 50 usuários simultâneos. O seu serviço (neste caso a venda de ingressos) vai funcionar perfeitamente, até que você atinja os 50 usuários simultâneos. Se você tem 320 usuários simultâneos, com simples matemática, você chega a conclusão que precisa de 7 servidores, e vai ainda ficar com folga, já que 7 servidores, considerando que cada um atende 50 usuários, conseguiríamos atender 350 usuários.

Bom, para fazer com que isso funcione, sem que o usuário se sinta um idiota procurando por um servidor não carregado (como no caso no site da tickets4fun), você usa uma tecnologia chamada de balanceamento de carga. São basicamente computadores que vão direcionar conexões para todos os backends, baseados em regras pre-definidas, como por exemplo, "envie a próxima requisição para o servidor que tiver menos carregado agora". Quando os 350 usuários excederem, você pode colocar mais servidores para fazer o mesmo trabalho. Como o usuário na realidade só pede conexão ao balanceador de carga, a expansão da infraestrutura seria transparente, e poderia escalar na mesma velocidade que a equipe de administração de sistemas consegue instalar servidores para executar a tarefa.

O que a ticket 4 fun fez foi ignorar a existência dessa tecnologia, e fazer com que os coitados dos usuários tivessem que fazer o papel de balanceadores de carga, procurando na mão por um servidor livre, ao invés de colocar um computador para calcular e fazer este trabalho automaticamente. Obviamente, o usuário não consegue fazer, manualmente, análise de carga nos servidores para decidir qual o melhor deles no momento, então, a não ser que fosse por sorte, a probabilidade de ir parar num servidor ruim é bem grande. (ainda mais considerando que eles disponibilizaram 25 servidores)

O pior de tudo é que este tipo de tecnologia está disponível em software livre, e sem custos de licenciamento NENHUM!

Thursday, August 28, 2008

nandamóvel

The machine of a dream
Such a clean machine
With the nandamóvelpistons a pumpin'
And the hub caps all gleam

When I'm holdin' your wheel
All I hear is your gear
When my hand's on your grease gun
Oh it's like a disease son

I'm in love with my car
Gotta feel for my automobile
Get a grip on my boy racer rollbar
Such a thrill when your radials squeal

Told my girl I'll have to forget her
Rather buy me a new carburetor
So she made tracks sayin'
This is the end now
Cars don't talk back
They're just four wheeled friends now

When I'm holdin your wheel
All I hear is your gear
When I'm cruisin' in overdrive
Don't have to listen to no run of the mill talk jive

I'm in love with my car
Gotta feel for my automobile
I'm in love with my car
String back gloves in my automolove

Tuesday, August 26, 2008

?

Como faz pra dizer que não?
Como se disfarça a intenção?
O que fazer com a obrigação?
Como faz pra te conhecer?
Como faz para te esquecer?
Como faz para amar você? Você.

Como faz para não cantar?
Como faz para arrepiar?
Como faz para se entreter?
Como faz para andar na rua?
Como faz para ver o dia?
Como faz para ter alegria?

Como faz para musicar?
Como faz pra não machucar?
Como faz para se libertar?
Como faz pra ficar feliz?
Como faz para não morrer?
Como faz para entender?

Que se faz...
Só para fazer.

Desafios

Depois de passar mais 3 anos parada com relação aos meus estudos, resolvi me mexer. Me inscrevi para terminar o meu bacharelado na University of London. Enviei todos os documentos. Agora é esperar.

Se eu for aceita, serão mais alguns longos anos até o meu bacharel, mas estou otimista, e motivada com isso. Tenho impressão que a experiência de passar por esta etapa me tratá bons frutos, pessoal e profissionalmente. Essa experiência vai ser importante quando e se eu decidir virar gerente, quando ficar mais velha.

Enfim, por enquanto ainda tenho muito para aprender, e muito para trocar na minha vida de Unix Sysadmin @ Google ;)

Desejem-me sorte! Preciso ser aprovada :)

Monday, August 18, 2008

Alexia Bomtempo - Mais

Não adianta um carinho todo dia
Só acredita que te ama se jurar
Não adianta encher a cara de alegria
A dose certa sempre tem que derramar

Não basta ganhar de 1 a 0
Porque seu time sempre tem que golear
Não basta ser feliz e brasileiro
Tem que ter jogo de cintura e sambar

Acha pouco ter o Rio de Janeiro
Acha que o sol nunca pode descansar
Acha pouco ter um pouco de dinheiro
O seu barato é ter o mundo pra comprar

Não basta ganhar de 1 a 0
Porque seu time sempre tem que golear
Não basta ser feliz e brasileiro
Tem que ter jogo de cintura e sambar

Sunday, August 10, 2008

Minha relação de amor e ódio com ldirectord

Tenho usado o ldirectord em uma solução de balanceamento de carga baseada em LVS. O papel do ldirectord é simples: verificar se o serviço está disponível nos bakends, e adicioná-los ou removê-los da lista do balanceador de carga baseado no resultado dessa verificação.

Uma das coisas que me irritavam muito com isso era o fato de que eu não podia saber o *porque* estas verificações falharam. Ou também ter estatísticas sobre quantas dessas verificações falham durante um determinado espaço de tempo para cada um dos meus VIPs.

Então agora dá pra fazer. Meu colega Julius adicionou a opção monitorfile, que define um arquivo para log dos monitores. Eu sei, também acho o nome horrível, mas o pacth já foi aceito, e o que se pode fazer, né?

Bom, testando o tal do patch percebi que ele não resolvia o problema inicial, já que imprimia um monte de lixos nos logs, e não informação parseável e utilizável do porque o status era "up" ou "down". Então foi, o patch tá aceito, e agora as coisas são logadas de maneira mais bonitinha.

Friday, August 8, 2008

Mulher sem razão...

Saia desta vida de migalhas
Desses homens que te tratam
Como um vento que passou

Caia na realidade, farda
Olha bem na minha cara
Me confessa que gostou
Do meu papo bom
Do meu jeito são
Do meu sarro, do meu som
Dos meus toques pra você mudar

Mulher sem razão
Ouve o teu homem
Ouve o teu coração
Ao cair da tarde
Ouve aquela canção
Que não toca no rádio

Pára de fingir que não repara
Nas verdades que eu te falo
Dê um pouco de atenção

Parta, pegue um avião, reparta
Sonhar só não dá em nada
É uma festa na prisão

Nosso tempo é bom
E nem temos de montão
Deixa eu te levar então
Pra onde eu sei que a gente vai brilhar

Mulher sem razão
Ouve o teu homem
Ouve o teu coração
Batendo travado
Por ninguém e por nada
Na escuridão do quarto

Ouve o teu coração
Ao cair da tarde
Ouve aquela canção
Que não toca no rádio

Tuesday, August 5, 2008

Reflexões antes de dormir

É incrível como algumas vezes, algumas pessoas se tornam muito importantes pra nós. Tão importantes que não conseguimos imaginar como poderíamos viver sem aquela pessoa na nossa vida. E não importa se é amizade, amor, ou sabe deus o quê.

Aí alguma coisa acontece, e vc perde totalmente o contato com essa pessoa. A vida segue seus rumos e tudo muda. Depois de um tempo, você volta a encontrar aquela pessoa e é como se o tempo não tivesse passado, pra você, e só com relação aquela ligação forte.

Enfim, é bom reencontrar, de vez em quando, velhas novas pessoas especiais que são parte importante do que nos tornamos. Hoje encontrei uma dessas pessoas online, depois de séculos :)

Bem-vindo de volta a minha lista de contatos!

Thursday, July 31, 2008

Estágio na Suíça, já pensou?

O time de sysadmins aqui de Zurich está procurando estagiári@s com experiência em C e Python, e interesse em desenvolvimento de kernel. A legislação aqui na Europa funciona de maneira diferente, portanto, pessoas fazendo mestrado ou doutorado podem fazer estágios. No caso de pessoas de nacionaliade brasileira, não é possível conseguir vistos de trabalho para pessoas sem graduação completa, então, infelizmente, esta oportunidade é somente para pessoas formadas em Ciência da Computação que estejam fazendo mestrado ou doutorado. Inglês fluente também é uma exigência. O tempo mínimo para o estágio é de 6 meses, podendo durar até 1 ano. Somente currículums em inglês serão considerados. Favor enviar e-mail em inglês, com o assunto: "Linux Systems Administrator Intern" para nanda AT google PONTO com. Seguem fotos do ambiente de trabalho, pra motivar ;).

Linux Systems Administrator Intern - Zurich, Switzerland

We are looking for exceptional Linux Systems Administrator Interns, at all levels of experience, to support our growing office and server infrastructure. The ideal candidate is goal-oriented, has the ability to handle interrupts while fluidly switching between several projects, and takes a "work smarter, not harder" approach.


Responsibilities:

1. Configure system and network parameters.
2. Monitor system stability and performance.
3. Help develop tools to monitor and maintain systems.
4. Ensure 24x7 operation.
5. Rapidly scale systems to meet demand.
6. Assist with corporate Linux desktop support.
7. Write comprehensive documentation.

Requirements:

1. Currently pursuing a BS or MS in Computer Science.
2. Working knowledge of TCP/IP networking.
3. Knowledge of webservers, firewalls/security, NIS/NFS, DNS, MTAs.
4. Programming and scripting ability (bourne, bash, perl, python, C).
5. Linux or UNIX systems administration experience a plus.

Wednesday, July 30, 2008

Meu amor, minha flor, minha menina...

Meu amor minha flor minha menina
Solidão não cura com aspirina
Tanto que eu queria o teu amor

Vem me trazer calor, fervor, fervura
Me vestir do terno da ternura
Sexo também é bom negócio
O melhor da vida é isso e ócio
Isso e ócio

Minha cara, minha Carolina
A saudade ainda vai bater no teto
Até um canalha precisa de afeto
Dor não cura com penicilina

Meu amor minha flor minha menina
Tanto que eu queria o teu amor
Tanto amor em mim como um quebranto
Tanto amor em mim, em ti nem tanto

Minha cora minha coralina
mais que um goiás de amor carrego
destino de violeiro cego

Há mais solidão no aeroporto
Que num quarto de hotel barato
Antes o atrito que o contrato

Telefone não basta ao desejo
O que mais invejo é o que não vejo
O céu é azul, o mar também

Se bem que o mar as vezes muda,
Não suporto livros de auto-ajuda
Vem me ajudar, me dá seu bem

Meu amor minha flor minha menina
Tanto que eu queria o teu amor
Tanto amor em mim como um quebranto
Tanto amor em mim, em ti nem tanto

Tuesday, July 29, 2008

nanda no Brasil - Latinoware 2008

No final de outubro, lá vou eu denovo para o Brasil. Este ano tenho passado bastante tempo na terrinha. O que eu acho ótimo, é claro :)

Desta vez, fui convidada para o Latinoware, que acontece do dia 30 de outubro a 01 de novembro em Foz do Iguaçu, Paraná.

Vou apresentar um pouco do trabalho que tenho feito com balanceamento de carga, que é minha área de atuação aqui no Google. Temos investido bastante trabalho para design e melhora de uma solução de balanceamento de carga baseada em Software Livre, que utiliza diversos componentes que agora ajudamos eventualmente, com envio de bug reports e patches. A idéia é explorar um pouco o universo do balanceamento de carga no Kernel Linux, e falar um pouco do trabalho que estamos fazendo para melhorar as ferramentas/módulos disponíveis. IPv6 em ip_vs é uma das coisas que meu time têm feito. Julius Volz, que trabalha comigo, têm suado para conseguir ter nossos patches aceitos pelo net-dev, e está inclusive ajudando a implementação geral do ip_vs, integrando netlink para comunicação inter-processo do código existente.

Gostaria de ter full nat funcionando, quem sabe não aconteça logo? As vontades são muitas, as possibilidades nem tantas, mas com jeitinho a gente avança ;)

Enfim, será ótimo rever os amigos, tomar umas cervejas, e finalmente ver as cataratas, que é algo ainda pendente no meu itinerário de viajante.

Nos vemos em outubro!



Friday, July 18, 2008

Devolve, moço

Existe aqui uma mulher
Uma bruxa, uma princesa
Uma diva, que beleza!
Escolha o que quiser
Mas ande logo
Vá depressa
Nem se atreva
A pensar muito
O meu universo
Ainda despreza
Quem não sabe
O que quer...

Wednesday, July 16, 2008

Deu pra ti, desktop...

Fazia tempo que eu tava tentando tomar coragem para diminuir a quantidade de artefatos nerd que eu tenho em casa. Pensei que uma maneira de fazer isso seria usar somente laptop e docking station ao inves de ter laptop mais desktop.

O dia chegou. Hoje pela manha passei o meu destop adiante. Deu pena, porque apesar de ter quase 2 anos de vida, o bichinho eh bom de verdade, e apesar do barulho maldito do ventilador, tem performance otima.

Enfim, ontem a noite fiz backup de todos meus trecos, e hoje pela manha deletei meu usuario. O nome dele eh rapadura. Roda Debian e eh bem comportado. Vai morar com minha mae em Porto Alegre.

Chimarrao e pirulito (os notes) sentirao sua falta!!!

Como me livrar do Drupal?

Estou desapontada com este gerenciador de blog que tenho usado pelos últimos tempos. O Drupal é maravilhoso, para sites que possuem sysadmins dispostos a atualizar CMS sempre, e tal, mas para mim, é uma tranqueira chata que desloga meu usuário cada vez que eu dou um post em alguma coisa.

Queria também poder habilitar comentários no meu blog. Enfim, tem gente que gosta de conversar comigo sobre as coisas que posto, e também seria legal ter um termômetro do que as pessoas pensam, caso o que eu poste cause algum tipo de sentimento em alguém.

Enfim, me amem, me odeiem. Mas não me façam sofrer com mais ou menos :)

Ontem tivemos a primeira reunião do temário do FISL10. Acho que ninguém imagina o tamanho do trabalho que é fazer um evento como aquele. Espero que meus desejos se realizem, papai noel seja generoso, e que tudo dê certo em Porto Alegre em 2009.

Minha irmã tá indo para Porto Alegre depois de amanhã. Como eu gostaria de estar indo pra lá....tanta coisa por fazer no Brasil...ai que angústia!

Sunday, July 13, 2008

Oh Seu Jorge!

Pretinha...
Faço tudo pelo nosso amor
Faço tudo pelo bem de nosso bem (meu bem)
A saudade é minha dor
Que anda arrasando com meu coração

Não duvide que um dia
Eu te darei o céu
Meu amor junto com um anel
Pra gente se casar
No cartório ou na igreja
Se você quiser
Se não quiser, tudo bem (meu bem)
Mas tente comprender

Morando em São Gonçalo você sabe como é
Hoje a tarde a ponte engarrafou
E eu fiquei a pé
Tentei ligar pra você
O orelhão da minha rua
Estava escangalhado
Meu cartão tava zerado
Mas você crê se quiser...

Mas você crê... se quiser...

Thursday, July 10, 2008

Ficando famosa...

Parece que eu tô ficando famosa agora. Meu blog está virando assunto de discussões internas da FSFLA. Em tempos de PL Azeredo, CPI da pedofilia e outros babados, isso parece mesmo irônico.

Enfim, então vou fazer mais fofocas: agora eu sou parte do core team da Free Software Foundation Europa. Não tem mais nada o que fazer não?

Thursday, June 19, 2008

Pescoção!

Estou em Tokyo. Cheguei aqui no dia 13, e passeei bastante. Vi um pouco da cidade, comi bastante sushi, vi o tal prato do peixe que se mexe ainda, agonizando enquanto a pessoa vai comendo os bifinhos (sashimi) que saíram do corpo dele minutos atrás. Na segunda-feira fomos para Nikko passar uma noite em um hotel tradicional japonês, onde tem aquelas termas pra tomar banho e tal.

Aqui no Japão, apesar do advento do chuveiro, tradicionalmente as pessoas tomam banho sentadas em um banquinho de madeira e usam canecas e baldes para jogar água no corpo. Eu não faria isso todos os dias, mas foi uma experiência interessante.

Voltamos pra casa na segunda. Confesso que eu realmente estava com as pilhas carregadas para recomeçar minha rotina louca de trabalho.

Acordei lá pelas 5 da manhã de quarta-feira com muitas dores no pescoço. Mal podia me mexer na cama, minha vontade era gritar, bem alto. Não fiz isso, mas meu barulho foi suficiente para acordar o Herman, que ficou preocupado. Depois de uns minutos, consegui encontrar uma posição na cama que fosse menos desconfortável, e adormeci novamente.

Lá pelas 8 da manhã, acordei, e a dor era insuportável. Eu literalmente chorava de dor, e de desespero. Estar em Tokyo, na cidade onde ninguém fala inglês, com um problema estranho, num sistema médico estranho, me apavorou.

Conseguimos entrar em contato com o pessoal do seguro de viagens do Google, e eles foram lerdos demais para minha dor, porém eficientes. Lá pelas 10:30, fomos a uma clínina de ortopedia, onde checaram o que havia de errado no meu pescoço. Fiz um tratamento maluco com choques elétricos para relaxar minha musculatura, tomei injeção de analgésico, e mais um montão de remédios para dor e anti-inflamatórios para tomar depois do café-da-manhã, almoço e janta. Parece que tive uma distenção muscular no pescoço. Que lugarzinho não?

Passei o resto do dia, meio zonza ainda por causa da dor, no escritório do Google. A noite, dormi um pouco melhor, e pela manhã voltei para o médico. Minha cabeça pesava muito em cima dos meus ombros, e em cima do maldito pescoço dolorido também.

O meu tratamento dura 7 dias, durante os quais viajar é extremamente desaconselhável. Além disso, hoje pela manhã ganhei uma daquelas coleiras para usar em volta do pescoço, e mais choques elétricos. Minha mudança vai ser adiada, assim como minha viagem de volta pra casa, que deveria acontecer amanhã.

Tive que cancelar minha viagem para Angola, o que lamento muito. Mas saindo de Tokyo no dia 26 depois de uma lesão no pescoço, ía ser impossível chegar em Luanda no dia 28 para o evento. Talvez eu chegasse, mas talvez meu pescoço pulasse do avião antes disso, e me abandonasse para sempre.

Friday, June 6, 2008

Deu pra ti, baixo astral

Desde que voltei do Brasil, estou sublocando um apartamento em Zurich de um inglês que está temporariamente fora da Suíça. O apartamento é super legal, grande, iluminado, bem dividido, porém, tem o vizinho de baixo.

O vizinho de baixo parece ser uma pessoa problemática, que tem uma relação curiosa com o cabo da vassoura (ao que parece). Se eu faço o menor barulho, como tomar banho, deixar algo cair no chão, depois das 22 horas, o cara simplesmente começa a cutucar a tal da vassoura no teto, que é o meu piso. Isso aconteceu incontáveis vezes até agora, e começou a me dar uma sensação de desconforto com o local.

O momento mais ridículo foi quando eu fui testar meu projetor pela primeira vez. Liguei o projetor, coloquei o filme pra rodar com o som das caixinhas do computador (já que meu amplificador e caixas de som ainda não tinham chegado). No final do filme, eis que a campainha toca. Naquele momento o TUM TUM do meu piso se personificou. Era o tal do vizinho louco. Ele olhou pra mim, não deu nem oi, gritou por uns 15 segundos em alemão (que eu não entendi bulhufas, aliás), e virou as costas. Eu fiquei ali, pasma na frente da porta, sem saber se eu ria ou chorava.

Bom, na semana seguinte, os 20W das minhas caixinhas do computador voltaram pro computador, e agora eu tenho 130W x 7 + 250W de som na minha sala. Só que não tenho coragem de ligar o bendito som!

Depois de algumas semanas pensando, pensando, analizando, etc, resolvi que queria me mudar daqui. Simplesmente não posso viver assim. Comecei a olhar por apartamentos, e finalmente, encontrei um que eu gostei, lindo, em uma cidadezinha há 20Km de Zurich, chamada Richterswil. A cidade parece coisa de cinema, lindinha, limpinha, cheia de casarões velhos. Tentei encontrar fotos da cidade, porém não consigo achar, o que me leva a crer que eu devo montar um website de informações sobre a cidade, com fotos e tal, porque é linda demais.

O apartamento é térreo, em um prédio novo, cheio de isolamento térmico e acústico. Será que eu deveria descer no meu vizinho antes de sair daqui e gritar na cara dele em português?

Wednesday, June 4, 2008

Herdando conflitos dos outros, ou a saga do "código aberto"

Já faz um tempo que estou para escrever sobre isso, e hoje como estou me sentindo talvez inpirada, vou tentar escrever um pouco sobre o porque usar o termo "código aberto" para falar de Software Livre é um erro, na minha opinião.

Um pouco de história

Sob a alegação de que o termo "Free Software" seja ambíguo em inglês, em 1998, a Open Source Initiative (aka OSI), iniciou seus trabalhos como uma campanha de marketing para o "Free Software" (Software Livre), alegando que, além de o termo original ser ambíguo em inglês, também existia o problema de que nem todas as pessoas estariam preocupadas com a filosofia, e defender o Software Livre somente embasado em causas políticas, sociais e filosóficas não criava apelo nas empresas. Então, eles começaram a fazer propaganda de Software Livre, chamando de "Open Source", e dizendo que era melhor tecnicamente.

Para isso, criaram uma definição para o termo "Open Source", que nada mais é que um sed na Debian Free Software Guidelines, trocando "Free Software" por "Open Source". E para quem não sabe, o documento Debian Free Software Guidelines foi escrito no comecinho do projeto Debian, quando ele ainda era um projeto intimamente ligado à Free Software Foundation (a FSF inclusive fez doações para que o Projeto Debian pudesse começar).

A pergunta que não quer calar: Isso faz "Open Source" e Software Livre serem duas coisas distintas?

Obviamente, não faz. Fazendo uma analogia, seria como comparar dois vegetarianos, um que não come carne porque não pode por motivos de saúde, e o outro porque é contra matança de animais. Isso faz com que eles sejam menos vegetarianos? Não. Então defender causas técnicas para o uso do Software Livre faz com que ele seja menos livre? Não. Na verdade, como todo bom vendedor, é necessário falar sobre as vantagens do produto de acordo com o consumidor. Se você tá vendendo um carro verde com bolinhas roxas para uma pessoa que gosta de verde, você põe ênfase no verde, se a pessoa gosta mais de roxo, você põe ênfase nas bolinhas roxas. Claro que como bom vendedor você pode e deve tentar educar essa pessoa sobre a importância da outra cor, o quanto a outra cor também é maravilhosa, e por isso o seu produto é ainda melhor do que pessoa esperava. No caso do Software Livre, seria o equivalente a ensinar um pouco mais sobre a parte técnica para os não técnicos que acham a causa social interessante, e falar da causa social para os que acham a parte técnica interessante. E criar um ambiente onde todo mundo conviva feliz. Educar é a palavra-chave na comunidade Software Livre.

Existem controvérsias sobre as possíveis interpretações da "Open Source Definition", que basicamente faz com que 1 ou 2 licenças existentes no universo caiam na excessão: é uma licença de "Open Source" porém não é uma licença de Software Livre. Essa 1 ou 2 licenças conhecidas possuem uma insignificante quantidade de softwares licenciados sob elas, então eu também acho insignificante ficar dando ênfase para as diferenças entre Software Livre e "Open Source". Algumas pessoas até hoje batem o pé e choram dizendo que não é a mesma coisa, que Software Livre é uma coisa, "Open Source" é outra. Eu acho uma perda de tempo e de esforço, já que isso só serve para dividir a comunidade. Dividir para conquistar, alguém já ouviu isso antes?

Essas pessoas que fomentam esse conflito, estejam elas do lado do Software Livre ou do lado do "Open Source", nada mais fazem do que alimentar uma guerra de ego sem fim. E este conflito é muito presente principalmente nos Estados Unidos, pelo que eu pude notar nas minhas inúmeras vezes pela terra do Tio Sam.

Tá, mas e o "código aberto?"

Bom, eu não sei exatamente quando, comecei a perceber que a comunidade brasileira está entrando na onda do "bater o pé que é diferente" ou "somos dois movimentos distintos", e algumas pessoas começaram a escrever coisas absurdas do tipo "Software Livre e de código aberto". Eu acho que isso é um grande erro da comunidade brasileira, e alguns dos motivos que me levam a acreditar nisso são:

  • Não existe ambiguidade no termo Software Livre em português.

  • Possuir o código aberto é um pré-requisito para que o Software seja Livre, mas possuir o código aberto (em bom português) não significa que o Software seja de fato Livre.

  • Código aberto é um termo sem definição. Não existe nenhum lugar que tenha publicado o que é que código aberto significa, e usar um termo sem definição somente contribui para que as pessoas que queiram deturpá-lo tenham a oportunidade de fazê-lo.

  • Somos todos "vegetarianos", não importa o motivo, e manter a comunidade unida é uma das chaves para o sucesso do nosso movimento.

  • Membros do conselho da OSI, durante visita ao Brasil há alguns anos, sugeriram que não seja criado "yet another term" para falar de Software Livre, por isso, se nem o povo que criou o termo "Open Source" quer que a gente traduza ele, porque a gente vai fazer isso por conta própria?

  • Evitar o efeito "dividir para conquistar".

  • Depois da merda espalhada, a própria comunidade vai ter que pagar o preço para limpar, e consertar um erro depois de consolidado é muito mais difícil do que evitar cometer o erro desde o começo.


  • E viva ao Software Livre! Que você pode achar socialmente justo, tecnologicamente sustentável, politicamente correto, super geek ou seja lá o que for. Somos todos "vegetarianos".

    Sunday, May 18, 2008

    Voltando pra casa, denovo

    Estou esperando pelo meu vôo no aeroporto de Philadelphia, EUA. O tempo tá horrível e vários vôos estão sendo cancelados ou atrasando. Passei minha última semana em reuniões na nave mãe, em Mountain View. Logo depois que cheguei, encontrei o Randal, com quem, mais uma vez conversei sobre os planos para Smalltalk no FISL10. Acho que esta área está coberta.

    Chegando em casa, ainda tenho que terminar minha mudança. Minha vida tem sido muito corrida nos últimos tempos, e não consegui nem arrumar minha nova casa. Passei 2 meses em Zurich depois da minha temporada no Brasil, que acabou no último FISL.

    Recebi vários e-mails com feedback sobre o meu post no FISL10, parece que o br-linux virou mesmo o slashdot do Brasil. O que aparece lá vai longe. Fiquei contente com as mensagens de apoio, e também de ver que a maioria dos meus pontos são unanimidade na opinião de várias pessoas.

    Agora é bola pra frente, e tentar fazer as coisas funcionarem. Estive olhando informações sobre softwares para administrar chamada de trabalhos e programa de conferências. Existem algumas aplicações super completas, mas não sei se elas não seriam overkill para o que precisamos no FISL.

    Espero que esta semana eu consiga colocar meu computador em cima de uma mesa, assim eu não castigo minhas costas, e posso ser um pouco mais produtiva.

    O namorado também está voltando pra casa, em Tokyo. Espero poder visitá-lo em breve.

    Thursday, May 8, 2008

    hahaha pra mim é risada de verdade!

    Em uma conversa com um colega de trabalho, ele acaba de me dizer que eu sou a única pessoa que ele conhece que realmente dá risada quando escreve um hahaha no jabber, ou irc. Será mesmo? Você ri quando escreve hahaha? Eu sim. Para mim, conversar pelo computador é como conversar ao vivo, enfim, eu sou risada mesmo :-P

    hahaha pra ti também!

    Sunday, May 4, 2008

    Vem

    Vem
    Que eu sei que você tem vontade
    Que eu sei que você tem saudade de mim
    Antes que haja enfermidade
    Que eu não me recupere

    Mas
    Se decidir fazer surpresa
    Deixei as chaves embaixo do xaxim
    Comprei os doces que devora
    Acho que agora não vai resistir

    Um espelho pra sua vaidade
    Dossel, pena de ganso
    É quase um romance
    Desligue nossos celulares
    Três dias pra um começo, vem

    Vem
    Eu sei que você tem vontade
    Eu sei que você tem saudade de mim
    Antes que haja enfermidade
    Que eu me desespere

    O que eu gostaria de ver no fisl10?


    Desde que o último fisl terminou, tenho pensado muito no que eu gostaria de fazer para o fisl10. Então vou documentar aqui, e vamos ver se ano que vem, quando o fisl estiver acabado, poderei dizer que algumas dessas coisas foram feitas, ou se alguém me convenceu de fazer diferente.

    1) Sessões técnicas mais longas. Seria muito bom que tivéssemos como 10 salas de aula, onde diferentes projetos de SL dariam oficinas de desenvolvimento. Andei conversando com o Theodore e o Randal, e acho que pelo menos uma de kernel e outra de Smalltalk vai pra frente certo. Queria ainda ver se temos como fazer oficinas de desenvolvimento Gnome, Kde (já tivemos este ano) e treinamentos de linguagens de programação. Seria muito bom se tivéssemos mais tempo para aprofundar as introduções dadas nos 50 minutos que os palestrantes tem.

    2) Alojamento para estudantes. De alguma forma, temos que organizar alojamento de graça para estudantes que venham com as caravanas das universidades. Algo tipo um acampamento, ao estilo Campus Party, não sei ainda, mas tem que ter. Isso vai ajudar os estudantes em geral a poderem ir ao evento mesmo se não morem em Porto Alegre, porque não terão custos de hospedagem.

    3) Proibição de uso de sistemas operacionais proprietários pelos palestrantes. Eu entendo que existem projetos de SL rodando em windows, e também sei que eles tem valor. Acho que excessões podem existir se for realmente importante. Porém a regra deve ser: se o coordenador de mesa/recepcionista ver que é windows ou mac, cancela a sessão. Acho que o fisl tá grande demais, e alguns valores as vezes acabam perdidos. Não podemos deixar a essência se desviar. O público talvez reclame, mas isso ajudará o entendimento do porque o fisl existe.

    4) Revisar o processo da chamada para avaliações. Alguns avaliadores somente participaram do processo para ganhar entrada grátis no evento. Precisamos arrumar uma forma de atrair pessoas que se comprometam a fazer o fisl melhor, montar comitês internacionais para seleção de trabalhos de áreas específicas, esse tipo de coisa. Acho que a avaliação deste ano deixou um pouco a desejar. Mas também sei que as pessoas que fizeram parte dela legitimamente ajudaram muito. A participação da comunidade foi importante, precisamos aprimorar o processo.

    5) Uma sala por trilha? Talvez se conseguíssemos acomodar todas as palestras de um assunto x em uma sala somente, facilitaria a vida de quem vem ao fisl com um objetivo/interesse em específico. Uma criatura poderia chegar pela manhã e dizer "vou passar o meu dia sentado na sala X, porque gosto do assunto a e b que estão sendo tratados lá".

    Se eu conseguir fazer alguns desses pontos acontecerem, estarei feliz. Acredito que o fisl está amadurecendo, e crescendo muito como é óbvio. Precisamos ficar atentos aos valores que motivam nossa comunidade para que eles não se percam, e tentar aprimorar o nosso evento preferido. Eu tô fazendo a minha parte, e você?

    Se eu quero ver o fisl10 com 10mil? Na realidade eu não quero. Quero ver um fisl10 com mais qualidade do que os anteriores, e grandes quantidades não refletem isso. Ah, e eu gostaria de ver uma equipe de temário igual essa aí da foto. Modéstia à parte, matamos a pau! :)

    Thursday, May 1, 2008

    Uma TV ou um projetor?

    Depois de 4 meses em terra brasilis, eu voltei para casa na última sexta-feira. Desde que cheguei, e comecei a me mudar pro meu novo apartamento, tenho pensado sobre o que colocar na minha sala: TV ou projetor?

    Uma televisão, por razões óbvias, tem imagem com qualidade e contraste superior ao projetor, mas também existe o problema de carregar uma TV. Não dá pra colocar uma TV de 52 polegadas na mala o dia que eu me mudar pra outro lugar.

    No meu outro apartamento, eu tinha um projetor na sala, mas acabou ficando com o ex, eu adorava o projetor. Enfim, depois de muito bater cabeça, resolvi, acabei de comprar um Sanyo PLV-Z2000. Full HD, projeta até 300 polegadas, não é barulhento e ainda por cima cabe dentro da mala.

    Dúvidas cruéis da vida de um nerd....

    Friday, February 22, 2008

    Um novo tempo...

    Gostaria de informar a todas (se alguma) pessoas que lêem o meu blog, que me desliguei da FSFLA oficialmente no dia de ontem. Após 4 anos de trabalho, devo dizer que infelizmente uma sucessão de erros acabou por levar, pela minha leitura, o projeto FSFLA a fracassar.

    Eu me sentia despreparada para fazer isso, e realmente estava. Não tive a calma que deveria ter quando enfrentei problemas, e diante dele, acabei reforcando problemas comportamentais que resultaram na minha saída da organizacão. Para quem já participou de alguma lista de discussão da comunidade, inlcluinso Solar, PSL Brasil, FLISOL ou LKLM, eu não preciso dizer muito mais.

    Aceito a minha parcela de culpa por ter influenciado muito diretamente na decisão que fez com que acabássemos onde estávamos até o dia de ontem. Comigo, também se desliga da FSFLA o meu grande amigo Pedro Rezende, por motivos similares.

    Enfim, a luta pela liberdade continua, com outros rótulos, e talvez com mais do que somente rótulos. Aqui vai o email que eu enviei ontem para o time, e depois dele, uma letra de uma música de Ivan Lins


    ************************
    de Fernanda G Weiden
    para FSFLA team
    cc "prezende"
    data 21/02/2008 23:54
    assunto Thank you, and farewell
    enviado por gmail.com

    Hi people,
    I am writing only to fsfla's team mailing list, but if you want to
    forward this email, please go ahead. It is not a confidential message.

    I am writing today on behalf of Pedro and myself, to let you all know
    that we are leaving the board of directors of FSFLA. Pedro has given
    me all powers to speak on his behalf on this subject.

    The reasoning behind that is known for most of you: we cannot take the
    modus operandi of this team anymore. We have seen the same kind of
    cycle over and over again for the past years, and unfortunately, we
    cannot do anything to change it.

    Almost a year ago, when both of us thought about leaving FSFLA, we
    decided to contact our fellow board member, explaining why we were so
    unhappy with the ways things were moving, and also stating what other
    people has foreseen before: that in the future, similar situation
    would came true again, but saying that when that happened, we would
    put the board positions in question.

    And now we see the same happening again. This time we'll not fight to
    the end to proof ourselves not being the bad guys. Or trying to

    Pedro is ill and needs to focus on recovering -- I suggested him to
    write a book, and I am trying to help organizing the International
    Free Software Forum. Our work for the Free Software community is not
    over, we'll keep doing it for sure.

    I would like to thank Richard and Georg for depositing trust on me to
    work on this project, and apologize for not being able to accomplish
    the task that was given to me. If either FSF or FSFE needs my help, do
    not hesitate in contacting me, and I will be glad to help. I still
    feel committed and motivated by the mission of the FSFs.

    Please board members, organize so my email is forwarded to
    fernanda@softwarelivre.org, for a while, so I don't lose the messages
    someone may send me. Pedro's personal email is prezende@unb.br. You
    can proceed and unsubscribe me from all the mailing lists. You can
    either do the same with Pedro, or wait for him to confirm my request,
    as you wish.

    It was a pleasure to work with you guys so far, and I wish you find
    the way to make this work.

    Fernanda Weiden

    --
    Speakers' Team

    International Free Software Forum 2008
    17th to 19th of April, Porto Alegre, Brazil
    http://fisl.softwarelivre.org
    ************************
    No novo tempo, apesar dos castigos
    Estamos crescidos, estamos atentos, estamos mais vivos
    Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
    No novo tempo, apesar dos perigos
    Da força mais bruta, da noite que assusta, estamos na luta
    Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver
    Pra que nossa esperança seja mais que a vingança
    Seja sempre um caminho que se deixa de herança
    No novo tempo, apesar dos castigos
    De toda fadiga, de toda injustiça, estamos na briga
    Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
    No novo tempo, apesar dos perigos
    De todos os pecados, de todos enganos, estamos marcados
    Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver
    No novo tempo, apesar dos castigos
    Estamos em cena, estamos nas ruas, quebrando as algemas
    Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
    No novo tempo, apesar dos perigos
    A gente se encontra cantando na praça, fazendo pirraça

    Saturday, February 16, 2008

    Campus Party

    Na última terça-feira dei uma passadinha relâmpago no Campus Party, em São Paulo. Impressionante. Não é porque o Marcelo é meu amigo não, mas que trabalho maravilhoso que ele fez na organização do evento. A cobertura de mídia que eles estão tendo é fantástica, e o evento tem mesmo muita coisa pra mostrar.

    O Google estava participando como patrocinador da parte de Astronomia.

    O mais legal destes eventos é reencontrar os amigos: Marlon, Machado, Paulo, André Franciosi, Mario, Elenara, Bruno Souza, Sérgio, Jomar. Espero não ter esquecido de ninguém, enfim, é difícil...

    A noite, fizemos uma reunião do temário do FISL, e acabei voltando pra casa lá pelas 2 da manhã. O evento ainda continua até domingo, então se alguém estiver em Sampa sem nada pra fazer no final de semana, ótima dica: vá para o pavilhão da Bienal no Ibirapuera.

    Ganhei uma camiseta do YouTube ;)

    Parabéns Marcelo Branco!

    Wednesday, February 13, 2008

    Carnaval com sol, mar, barco a vela e cobertor de orelha

    No dia 24 do mês passado, peguei um vôo em NYC com destino a St Maarten. Quando fui convidada para fazer essa viagem, eu pensei de St Maarten o que os gringos pensam do Brasil: só vai ter coqueiro e macaco neste lugar. Passei um trabalhão pra achar hotéis, mas enfim, encontrei um hotel chamado L´Hoste Hotel, numa praia chamada Orient Bay. O hotel é muito simpático, os quartos do segundo andar tem vista para o mar. Recomendo, se você for visitar Orient Bay, o hotel é ótimo, e as tarifas são pagáveis.



    Chegamos lá quase 6 horas da tarde, e no Caribe a noite chega bem cedo. O sol acorda bem cedo também. Orient Bay é uma praia na parte francesa da ilha de St Maarten. O lugar é lindo. No outro dia, na praia, as primeiras certezas que aquilo ali não era uma praia brasileira: as mulheres topless, os homens usando sungas fio dental. Enfim, só vendo as fotos pra acreditar. Eu não quis ficar tirando foto das bundas dos caras, mas tinha que ter ao menos uma vítima :) Tinham muitas pessoas de muito mais idade que nós na praia, o que nos fez pensar em perguntar onde era que eles tiravam férias há 30 anos atrás, porque este lugar deve ser agitadíssimo. No Caribe, só pessoas idosas. Quase impossível achar menores de 30 anos.

    O plano não era ficar em St Maarten por todo o período, no dia 26 de janeiro fomos para Oysters Bay e embarcamos num veleiro de 43 pés de comprimento, 10 pessoas a bordo: eu, Herman, Katrina, Layla, Walter, Tony, Betty, Susan, Robert e Janeen. Todos americanos, menos eu. Coisas da vida :) A regata foi organizada pelo Manhattan Yatch Club, e tinham 15 barcos participando, cerca de 150 pessoas.

    No dia 27 pela manhã, partimos rumo a St Barth, que é uma outra ilha um pouquinho mais pro sul. Todo mundo diz que barcos fazem as pessoas se sentirem enjoadas, então resolvi tomar um remédio pra ter certeza que eu ía aproveitar a viagem. Foi maravilhoso, eu não só adorei, como também dormi no embalo das ondas do mar caribenho.

    Passamos 2 dias em St Barth e partimos em direção a Anguilla. Fizemos uma breve parada de volta em Oyters Bay para abastecer o tanque de água potável do barco.

    Depois, disso, fomos para Anguila. O mar estava calmo, porém, a parte frontal do barco sempre balança muito pra cima e pra baixo, e dá muito frio na barriga. Foi super legal, me senti num parque de diversões :)

    O barco é equipado com um pequeno bote para levar os tripulantes até a areia, já que o barco é grande demais pra isso, e as ilhas onde fomos não tinha estrutura portuária para "estacionar". Achei incrível que, apesar de ser uma ilha colonizada e administrada pelos ingleses, se você não prender o bote com um cabo de aço e cadeado, vai ser roubado. Dos 15 barcos da nossa regata, 5 tiveram seus botes roubados.

    Em Anguilla, fomos mergulhar para ver os peixinhos coloridos. Tinham alguns de cores muito legais, mas a quantidade não era muita. Eu achei super legal. Só tinha mergulhado em rio no Pantanal, e a experiência em alto mar é bem diferente. Na minha TODO list pra próxima viagem deste tipo está uma câmera a prova d'água, ou uma daquelas capas que permitem que se use a câmera na água. Queria ter tirado fotos dos peixinhos lilás, e uns que pareciam umas zebrinhas :)

    A coisa que mais me impressionou nesta viagem foi a cor da água. Nunca vi mar tão cristalino na minha vida. Lindo! Pertinho de Anguilla tinha uma ilha pequenininha chamada Sandy Island. Tem no máximo uns 100 metros de comprimento, e tem um barco que ficou encalhado lá depois de um furacão em 1998. Fomos lá tomar um banho de mar e pegar sol.

    No retorno para St Maarten, fizemos a volta na Ilha de Anguilla, e vimos golfinhos no caminho. Infelizmente não deu pra tirar foto, foi muito rápido, mas ficou gravado onde interessa :)

    Também passamos por uma outra ilha pequenininha, não habitada, que não lembro o nome. Ficamos algumas horas por lá, mergulhamos e vimos tartarugas. Foi demais :) Fora a tartaruga não tinha mais muita coisa, mas a ilhazinha era super legal. Quando passamos por ela na ida pra Anguilla só tinha umas 2 ou 3 pessoas. Agora no retorno, quando paramos por lá, estava mais movimentado, acho que tinham 10 pessoas :)

    Retornamos a St Maarten, e a parte à velas da viagem estava acabada. Agora só nos restavam mais 2 dias em Orient Bay antes de voltar pra realidade. Enfim, tudo que é bom acaba. Os últimos dois dias em St Maarten procuramos por coisas pra fazer, fomos ao cinema ver Cloverfield, e também em alguns restaurantes.

    Voltamos pra NYC, tava MUUUUUUITO frio, e foi ficando pior no decorrer da semana passada :)

    Ah, antes que eu esqueca...fotos da viagem estão aqui